.

.

Dois jovens suspeitos de matar um motorista por aplicativo em Juazeiro, no norte da Bahia, foram presos nesta terça-feira (29). Segundo a Polícia Civil, a dupla mudou a versão do crime e disse que mataram a vítima após ela reagir a um assalto.

De acordo com a polícia, a versão de que o crime foi motivado por uma dívida por drogas foi desconstituída durante as investigações, pois foram constatados pontos de divergência entre as informações prestadas por um dos jovens e a perícia.

A Polícia Civil informou que um dos suspeitos foi interrogado e afirmou que o plano inicial da dupla era fazer um assalto, e que ao anunciarem o roubo do veículo a vítima, identificada como Diego Araújo, teria se desesperado e tentado pegar uma faca. A ação teria motivado os jovens esfaquear o motorista.

O investigado ainda afirmou que a decisão por atear fogo no carro e na vítima foi para dificultar a investigação para que não fossem identificados. A gasolina foi comprada em um posto 24 horas na cidade de Juazeiro.

Versão inicial

Na quinta-feira (24), um dos suspeitos de matar o motorista se apresentou à polícia. Ele contou que estava com um amigo e solicitou uma corrida, que foi aceita pelo motorista, Diego Araújo. Este amigo teria vendido um entorpecente a Diego e não recebeu pelo pagamento.

A família do motorista, no entanto, afirmava que ele não era usuário de drogas e não tinha dívida com traficantes.

O suspeito chegou a detalhar que, durante a corrida, estava no banco traseiro do veículo e segurou a vítima, enquanto o amigo o atingia com golpes de faca.

No dia 13 de março, um corpo foi encontrado dentro de um carro carbonizado, no bairro Quidé, em Juazeiro. A família identificou como sendo Diego Araújo, que trabalhava como motorista por aplicativo na cidade e estava desaparecido.

Na ocasião, a polícia informou que a principal linha de investigação era de que a vítima tivesse sofrido um latrocínio, que é quando a pessoa é morta para ser roubada. No entanto, não detalhou quais pertences foram levados de Diego. G1