WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
vida plenacentral das bebidasjunior moveis e eletros clinica bem estar


Sorry, there are no polls available at the moment.
dezembro 2019
S T Q Q S S D
« nov    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  
galeria bar

carne de sol gomes mercadinho

floema

allyf calcados

unibf faculdade

pizzaria garoto senna

pro corpo academia

andressa fashion hair

mercadinho delta

V&JC instalacoes eletricas

leo gas

alianca variedades

casa de carnes alianca

lava rapido pit stop

softsky informatica

tecnet

guri polpas

hn informatica


EDITORIAL: O HOSPITAL DE ITORORÓ SERVINDO À EXPLORAÇÃO POLÍTICA

À medida que as eleições municipais de Itororó, para a escolha do prefeito que vai administrar o município de 2013 a 2016, aproximam-se, as oposições políticas engrossam o caldo de  suas críticas e partem para a  apelação.

Certas atitudes e ações são compreensíveis dentro do processo político por que deve passar o município nesse período, mas, nem por isso,  as forças políticas precisam  exagerar nas críticas, cometer abusos ou, principalmente, induzir as pessoas  a pensarem de forma errada a respeito de determinados fatos.

Ainda, ontem, li, em um Blog, matéria sobre o  Hospital e Maternidade de Itororó com o título “Hospital de Itororó está nas Últimas”, escrita e divulgada apenas com o intuito de responsabilizar o prefeito do município pela triste  situação em que se encontra a casa de saúde da nossa cidade. É, portanto, um artigo tendencioso e mal elaborado.

O articulista, em nenhum momento, preocupou-se em apontar as causas que estão levando o hospital à falência e, menos ainda, as ações que possam ser desenvolvidas  para salvá-lo. Limitou-se, simplesmente, a incriminar o atual prefeito pela lamentável situação dessa unidade de saúde, como se o alcaide de Itororó  fosse o diretor executivo do hospital ou o município  seu proprietário.

Para começo de conversa, é bom que se diga logo que o Hospital e Maternidade de Itororó não é público, muito menos de propriedade do município, e pertence integralmente a  uma instituição privada, denominada “Fundação Hospital e Maternidade de Itororó”. Isto quer dizer que a instituição possui administração própria e que, até prova em contrário, esta é a única responsável pelo êxito ou não de sua gestão. E, mais, que, desde a sua criação, na década de 1960, o Hospital vem sendo comandado pelo corpo médico que atua em suas dependências.

Por essas  razões de ordem legal, o Hospital e Maternidade de Itororó não faz parte do Sistema de Saúde Pública do Município de Itororó, estando a Prefeitura impedida de fazer uso de verbas públicas para financiar os seus custos. Além disso, essa unidade de saúde já  é contratada  pelo SUS para fazer atendimento gratuito à população local, especialmente em casos de emergência.

Portanto, não é necessário possuir um grande discernimento para que se perceba a insensatez do absurdo de querer nos fazer crer que a responsabilidade pela situação em que se encontra o Hospital e Maternidade de Itororó, é do atual prefeito e seu antecessor. Certamente, é o mesmo que tentar  nos induzir a acreditar que a responsabilidade pelo fechamento das fábricas da Vulcabrás/Azaleia nas cidades de Iguaí, Ibicuí, Itarantim, Maiquinique e Potiraguá, mais o  distrito de Itati, ocorrido recentemente, é também  da responsabilidade dos prefeitos   desses municípios.

A população local sabe que, há bastante tempo, o Hospital e Maternidade de Itororó não vem bem das pernas. Talvez, se não fosse a ajuda, pequena é verdade, que a atual gestão municipal lhe vem proporcionando, ele já estivesse, de fato, com as portas fechadas. Mas, não cabem dúvidas de que a situação atual do Hospital é de responsabilidade exclusiva de sua gestão, ocorrida ao longo dos anos, e agravada pelos  valores  baixos  com que o Sistema Único de Saúde (SUS) remunera os hospitais do país, por seus procedimentos médico-hospitalares. Talvez,  seja esta  a maior  razão por que a maior parte das casas de saúde privadas do país que atende pelo  SUS, encontre-se em situação de pre-falência, como a  de nosso município.

Que o Hospital e Maternidade de Itororó está precisando de socorro,  já se sabe disso, há muito tempo. Mas, não achamos que deva ser a Prefeitura a instituição adequada para coordenar esse socorro. Com isso, evitar-se-ia a exploração política do ato e as prováveis  ações contrárias às iniciativas do Poder Público. O ideal, portanto, é que a  iniciativa parta da sociedade organizada dentro do município, após esta ser provocada pela própria administração do Hospital. Depois, então, que os estudos  para salvar o Hospital forem concluídos, a sociedade convocaria o  Poder Público para sua imprescindível ajuda.

Mas, que sociedade organizada de Itororó seria esta? Hoje, existem várias instituições não governamentais, no município, que poderiam se congregar para coordenar a reestruturação do Hospital. Entre elas estão a Loja Maçônica Força e União de Itororó, a Igreja Católica e as igrejas evangélicas e a Fundação Cultural Cabana da Ponte, para citar algumas.

Já tivemos oportunidade de conversar com alguns irmãos da maçonaria local e vimos que muitos deles estão preocupados com a situação do Hospital de Itororó. Comungam conosco a ideia de que  a loja de Itororó deve mobilizar-se para ajudar essa instituição hospitalar.

Entretanto, para que isso aconteça é preciso que a direção do hospital, seu corpo médico, seu quadro de funcionários e, principalmente, os sócios da Fundação, reconheçam a gravidade da situação dessa casa e decidam pedir ajuda. E esta poderá vir na modernização da atual gestão  e em grandes campanhas para reaparelhar o Hospital, a fim de que essa unidade de saúde  adquira condições melhores de prestar um serviço médico-hospitalar mais amplo e eficiente à população do município.

Texto: Djalma Figueiredo

1 resposta para “EDITORIAL: O HOSPITAL DE ITORORÓ SERVINDO À EXPLORAÇÃO POLÍTICA”

  • Mario Sergio dos Santos disse:

    Venho atraves deste veiculo, minha indignação a maneira como as autoridades de Itororo tratam da saude de seu povo.sou filho da terra.sinto nesse momento muito tristeza,pois minha mãe moradora de itororo,(ANA ROSA DA SILVA) R;22 DE AGOSTO 350.Passou por uma cirurgia de levantamento de beixiga.com o doutor JOSE ANGEL VILLARROEL TORRICO.clinico gera ,com consultorio em Itabuna,Rua Nações Unidas,487 ap. 1001 Itabuna Ba.Causando um grade erro medico,onde a paciente sente fortes dores na região da cirurgia.Veio ate S.Paulo para corrigir a mazela feita pelo o dotor,os medico aqui solicitaram o prontuario para o hospital .em resposta disseram que não poderia fornecer. hj a paciente vive com esse encomodo já entrou emcontato com o doutor JOSE ANGEL V.TORRICO. O qual foi extremamente mal educado,ante profisiona,sem etica.preciso de ajuda para corrigir essa mazela por favor.

Deixe seu comentário

shekinah pousada restaurante

danny disk gelada

unicesumar

plena saude

otica liz

carne de sol gomes

paulinho construcao

sam fitness

charmes esportes

tropical modas

supermercados compre aqui

jamille lanches

associacao seguranca guardioes

leophoto


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia